DynaMesh®

Tailored Implants made of PVDF

DynaMesh®-PRM

As telas implantáveis DynaMesh®-PRM foram desenvolvidas especialmente para a implantação transobturatória e suburetral de slings para o tratamento de casos leves a moderados da incontinência urinária de esforço masculina. A geometria singular das bordas da DynaMesh®-PRM possibilita a introdução e o ajuste fáceis e atraumáticos, sem irritações do tecido circunvizinho. A estrutura têxtil de monofilamento de fluoreto de polivinilideno (PVDF), dimensionalmente estável e com uma porosidade altamente eficaz, assegura uma excelente integração do implante ao tecido.


A escolha do método cirúrgico e da posição final da fita está a critério do cirurgião, conforme a sua preferência e a seleção dos respectivos instrumentos, os quais podem ser adquiridos separadamente.

Normalmente, a tela implantável é colocada através de um acesso perineal. O músculo bulboesponjoso é dividido medianamente e o bulbo da uretra é destacado do centro tendíneo até tornar-se móvel. A fita é introduzida por via transobturatória com um tunelador. A porção central da tela é fixada na porção móvel do bulbo da uretra por meio de suturas. Com a tração da fita, o bulbo é deslocado cranialmente para o espaço retrouretral. Após o posicionamento definitivo da fita, é formado um túnel com uma pinça Overholt desde a ferida perineal até o local da incisão. As extremidades da fita são puxadas para trás e cortadas à altura das bordas da ferida. Para prevenir um deslocamento da fita nas primeiras semanas da cicatrização, suas extremidades são suturadas frouxamente entre si com um fio de espessura 2-0 e absorvível a médio prazo.

O usuário da DynaMesh®-PRM deve estar familiarizado com a técnica de implantação de um sling suburetral.

DM-PRM-suburethral

Instrumentos correspondentes

Ausência de enrolamento com o DynaMesh®-PRM
Alta estabilidade dimensional com elasticidade definida

As telas possuem uma dinamometria que corresponde especificamente às áreas de aplicação. Mesmo assim, graças à sua elasticidade definida, são estáveis o suficiente para sustentar perfeitamente as estruturas anatômicas, apresentando apenas um grau mínimo de retração.2)

A alta porosidade eficaz é preservada mesmo sob carga, visto que a tela se distende somente no comprimento (definido), sem nenhuma alteração da largura.1) 4)

DM-PRM-no-rolling-in


Programa de fornecimento
prm-v

DynaMesh®-PRM 04 cm x 03 cm PV330453F1 Unit = 1 EA / BX
DynaMesh®-PRM visible 04 cm x 03 cm PV730453F1 Unit = 1 EA / BX
Aplicação
Produto DynaMesh®-PRM
Área de aplicação ncontinência de esforço masculina
Posição suburetral
Acesso O implante é colocado pela via trans­obturatória com a técnica outside-in
Technische Daten

Material: 100% de monofilamento de fluoreto de polivinilideno

Carga 0 kg 2 kg
Tamanho do poro 1,1 mm x 1,3 mm 1,0 mm x 1,4 mm
Porosidade eficaz 59,7 % 61,6 %
Largura da fita ou da rédea 11 mm 10,5 mm

Referências
1) Göretzlehner, U:
PVDF as an implant material in urogynaecology
BIOmaterialien, 2007, German language
2) Klinge, U et al:
Demands and properties of alloplastic implants for the treatment of stress urinary incontinence
Expert review of medical devices, 2007
3) Klinge, U et al:
PVDF as a new polymer for the construction of surgical meshes
Biomaterials, 2002
4) Mühl, T et al:
New objective measurement to characterize the porosity of textile implants
Journal of biomedical materials research. Part B Applied biomaterials, 2007
5) Klosterhalfen, B, Institute of Pathology, Hospital Düren, Junge, K. and Klinge, U., University Hospital Aachen
Comparison of bacterial adherences (2010)
6) Klosterhalfen, B, Instituto de patología, hospital de Düren, Alemania
Foreign Body Reaction (2010)
7) Klink, CD et al.
Comparison of long-term biocompatibility of PVDF and PP meshes.
Journal of Investigative Surgery, 2011
8) Laroche, G et al.
Polyvinylidene Fluoride Monofilament Sutures:
“Can they be used safely for long-term anastomoses in the thoracic aorta?”
International Society of Artifical Organs, 1995